Crer

Constante, insaciável, o mundo é impiedoso. Como crer nele? As pessoas que andam sempre sem se preocupar por esbarrar no próximo, todos com seus problemas diários, o movimento continuo urbano. Crer que uma pessoa lhe abraçara e dirá as seguintes palavras: “como é bom estarmos conectados, sentindo a respiração um do outro, apesar de todo essa agitação”. Acreditar que um dia essas imagens e memórias que tanto nos assombram sairão, ou talvez não. O esquecimento que desejo e detesto. Crer em outra vida que fico imaginando. Ninguém quer ser egoísta, mas todos são. Temer o filho que terei, e saber que o teu não irei conhecer. Saber que meu nome será o peso de outro. As palavras de amor que prometemos, mesmo descobrindo que a promessa é desnecessária.

Crer que não tenho medo, não, fingir que não tenho medo. Sou o que surgiu há pouco e desaparecerá logo. Mas nada disso importa, pois ouço e olho com um pequeno sorriso. Basta crer.

 

 

Standard

Rubro

eu a vi enquanto estava parado no transito
seguindo o meu caminho
era a tarde, a cor do céu estava belo
assim como seu cabelo
a luz o deixava vermelho, vermelho como o fogo
e como eu amo o fogo

lembro que ela estava de saia
o vento soprou
e mostrou um pouco mais de suas lindas pernas
porque tinham que ser tão belas?

foi por tão pouco tempo
mas pareceu que durou mais
lembro do seu cabelo
a cor da sua saia, da sua camisa
porque tinha que ter essa cor de fogo?

Standard

Tua Voz

Tua doce melodia
que acalma meu dia
o quanto gosto de ouvir tua voz
de ouvir teus problemas
de ouvir teus desejos

Tua voz
quando a ouço
quanto a vejo
disfarço meu desejo
de querer te beijar

Standard

Sentado no banheiro

Contos de fada são mais do que a verdade. Não porque eles nos dizem que dragões existem, mas porque eles nos dizem que dragões podem ser derrotados.
– Neil Gaiman

 

maldição
não tinha dormido bem a noite passado
pensamentos, sonhos
loucura, um turbilhão de loucuras
e todas querendo sair de mim

estava eu sentando pensando em todas elas
e meu intestino estava contribuindo
para ficar mais tempo pensando

maldição
não quero lembrar
como ficava bonita em vestidos
bem, ao som da descarga todos os pensamentos se foram

Standard

O travesseiro

As nossas quimeras são o que se parecem mais conosco.
– Victor Hugo

 

mais um cochilo
mais um sonho
imaginem se pudessem extrair
toda informação de seu travesseiro

já fui herói
já provei todas as mulheres
saberiam que já amei
já salvei o mundo
já enfrentei minhas quimeras
já corri de palhaços
já nasci de novo

Standard

O Eu perdido

Bem, todos morrem um dia, é simples matemática. Nada de novo. A espera é que é um problema.
– Charles Bukowski

 
Noite fria, estava numa praça, sem ninguém, sentado com meus pensamentos. Turbilhões de pensamentos. O ódio inflava. Não tinha dormido bem, tinha demorado para digerir, e agora minha barriga estava sempre em dor.
Estava farto das indecisões femininas, da covardia que já vi por muitas vezes. Ao olhos de outros era louco, queria tentar, mas não houve tentativa.
Esperava mais de mim, esperava compreender suas neuras, esperava sua sinceridade, esperava seu beijo antes de dormir, talvez deixei algumas coisas passarem.Eu te esperava, e esperei, mas não houve resposta. Mas o que eu esperava? Elas nunca sabem o que querem, desperdiçam chances de um futuro.
Agora queria provar o gosto de tudo, viver, não me esforçar tanto, porém quem estou enganado, nisso tudo, um eu foi perdido. O Eu dá inocência, da paciência, da mais pura afeição.
Hoje é meu marco zero ,envelhecendo anos em um dia, olhando o passado com afeição e encarando o futuro com ardor.
Aqueles meses juntos, apesar de todas dificuldades foram uma época feliz, triste em saber que talvez fosse uma ilusão.
Irei te esperar e procurar meu eu perdido.

Standard

Diário

– Não está morto o que eternamente jaz inanimado, e em estranhas realidades até a morte pode morrer
H. P. Lovecraft

 

Bem, acabei fazendo meio na pressa esse, na próxima faço algo melhor. Abraços.

Eu desejei, ansiei com ardor, queria mais poder. Engraçado que os poderosos sempre anseiam amealhar mais poder, queria ser um deles. Tinha cobiça por saber. Mexi em coisas que não devia, desgraça caia sobre mim no dia que tentei aquilo.

Eram meia-noite, tinha que ser nesse horário. Peguei o livro, o qual tive muito trabalho de possuir em mãos,  abri na página do ritual – Deus, se existe saiba que me arrependo pelo que fiz.

Não lembro exatamente o que aconteceu, porque um clarão veio a minha visão e minha mente, mas lembro como ficou meu servo, pobre dele e de todos no bairro,  nenhum sobreviveu, suas vidas foram consumidas.

Soltei criaturas pelo mundo, criaturas que nem sei o que são. Deixo esse diário para gerações futuras, para aqueles que desejam algo demais, tomem cuidado.


Standard